Brasileiro, onde está a tua Pátria ?

 

                        Poema de Ronald de Carvalho para o dia 7 de setembro

Recôncavo

Tua Pátria não está somente no torrão em que nasceste!
tua Pátria não se levanta num simples relevo geográfico.
O solo em que pisas,
as águas em que te refletes,
o céu que te alumia,
as árvores que te dão vozes, fruto e sombras,
as fontes que te dessedentam,
o ar que respiras,
recebeste, em partilha, com todos os homens sobre a terra.
Tua pátria não é um acidente geográfico!

Brasileiro,
se te perguntarem: Onde está a tua Pátria?
responde:
— Minha Pátria está na geografia ideal que os meus
Grandes Mortos me gravaram no coração;
no sangue com que temperaram a minha energia;
na essência misteriosa que transfundiram no meu caráter;
na herança de sacrifícios que me transmitiram;
na herança cunhada a fogo;
no ferro, no bronze, no aço das Bandeiras, dos Guararapes, das Minas da Inconfidência, da Confederação do Equador, do Ipiranga e do Paraguai.

Minha Pátria está na consciência que tenho de sua grandeza moral e nessa lição de ternura humana que a sua imensidade me oferece, como um símbolo perene da tolerância desmedida e infinita generosidade.

Minha Pátria está em ti, Minha Mãe! No orgulho comovido com que arrancaste das entranhas do meu ser a mais bela das palavras, o nome supremo: — BRASIL!

Imagem: Recôncavo.jpg

Escritora Negra

 

conceição-evaristo-720x430
Conceição Evaristo, uma das maiores escritoras nacionais afro-brasileiras, nasceu em uma comunidade da zona sul de Belo Horizonte. É mestra em Literatura Brasileira pela PUC-Rio, é doutora em Literatura Comparada pela Universidade Federal Fluminense.
Membro da Academia Brasileira de Letras ocupou a cadeira número 7, originalmente ocupada por Castro Alves. Nas suas obras de poesia e ficção é notória a valorização da cultura negra e a análise do panorama social brasileiro.
Fonte: Cultura Genial, Wikipédia a enciclopédia livre
Imagem: escolaeducacao.com.br

Conceição Evaristo – Vozes Mulheres

A voz de minha bisavó
ecoou criança
nos porões do navio
ecoou lamentos
de uma infância perdida

A voz de minha avó
ecoou obediência
Aos brancos-donos de tudo.

A voz de minha mãe
ecoou baixinho revolta
no fundo das cozinhas alheias
debaixo das trouxas
roupagens sujas dos brancos
pelo caminho empoeirado
rumo à favela

A minha voz ainda
ecoa versos perplexos
com rimas de sangue
e
fome.

A voz de minha filha
recolhe todas as nossas vozes
recolhe em si
as vozes mudas caladas
engasgadas nas gargantas.

A voz de minha filha
recolhe em si
a fala e o ato
O ontem- o hoje – o agora.
Na voz de minha filha
se fará ouvir a ressonância
O eco da vida-liberdade.

(Poemas de recordação e outros movimentos, p. 10-11)

 

 

Festejo de São Benedito

Em Alcântara-Ma, (cidade onde vivi grande parte de minha vida) , no mês de agosto, ocorre anualmente o festejo de São Benedito na igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos. Quatro dias de celebração em louvor ao santo padroeiro dos negros. Uma mistura do sagrado com o profano com celebração de missas, ladaínhas, procissão, música e dança ao som de tambores. Festa popular, não só atrai os moradores da cidade como também devotos, pagadores de promessas, visitantes de outras cidades.

Lenda
São Benedito das Rosas

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e pessoas em pé

São Benedito era um frade franciscano que professou na Cicília.

O humilde frade era despenseiro do convento. Mas, como bom franciscano, confundia a despensa dos seus irmãos com a sacola dos esfomeados que vinham pedinchar diante da porta da casa de Deus. Não sabia dizer não. Ficava aflito sempre que ouvia um pobrezinho de Cristo dizer que ainda não tinha comido um bocado de pão. Por isso, costumava desencaminhar o melhor da despensa para acudir à fome dos deserdados da terra.

Mas à hora das refeições, os frades, coitados, só encontravam à mesa o caldinho ralo, as folhas de hortaliça e os bocados de pão de rala. Passaram a reprovar a conduta do ecônomo. E o superior, zeloso da boa ordem conventual, teve de chamar à sua presença o negro, aconselhando-o a moderar um pouco os excessos da sua caridade, sob pena de matar de fraqueza os santos religiosos…

Ele, porém, por mais que se esforçasse, não conseguia mudar de conduta. Sempre que podia, apanhava alguns comestíveis, metia-os nas dobras do burel e lá ia, disfarçadamente, levá-los aos infelizes. Mas aconteceu que numa dessas escapulidas, no comprido e umbroso corredor do convento, encontrou-se com o superior. Sentiu-se surpreendido em pecado e não soube o que fazer.

– Que levas aí, na dobra do teu manto, irmão Benedito?
– Rosas, meu senhor.
– Ah! Mostra… Quero ver de que qualidade são!
Benedito, confuso, trêmulo, desdobrou o burel franciscano. E, em lugar dos alimentos suspeitados, apresentou aos olhos pasmos do superior uma braçada de rosas.

Fonte: ifolclore.vilabol.uol.com.br
Imagem: Linha do Tempo de Luis Augusto Pinheiro Pinheiro

 

 

Poluição

Nestes tempos de constante preocupação com o aquecimento global e suas consequências, o combate à poluição torna-se uma missão a ser cumprida diariamente. Com frequência a população em geral culpa as autoridades e as indústrias pela poluição do meio-ambiente, transferindo-lhes a responsabilidade pelos danos causados à natureza. Entretanto, na guerra para salvar o planeta, a população é o principal soldado.

Toda Matéria     Imagem: Toda Matéria. jpg

Atitudes simples do cotidiano podem contribuir de forma significativa para minimizar a poluição. Faça sua parte:

Separe o lixo reciclável
Não coloque pilhas e baterias na coleta seletiva. Há postos específicos para isto.
Evite fazer frituras e sempre jogue o óleo de cozinha utilizado nos postos de coleta apropriados.
Use papel reciclado
Economize água e luz
Troque as sacolas plásticas de supermercado por sacolas reutilizáveis.
Sempre que possível, deixe o automóvel na garagem. Dê preferência aos transportes coletivos e às caminhadas.
Use e incentive o uso da bicicleta como meio de transporte, e reivindique junto às autoridades locais a construção de ciclovias
Plante árvores nativas
Fonte:  www.ftd.com.br/www2.portoalegre.rs.gov.br

O Brasil é o 4° país que mais gera lixo plástico.
Fonte: Poluição sem Fronteiras

14 de Agosto – Dia do Combate à Poluição.

 

Saber Viver

Não sei… Se a vida é curta
Ou longa demais pra nós,
Mas sei que nada do que vivemos
Tem sentido, se não tocamos o coração das pessoas.

Muitas vezes basta ser:
Colo que acolhe,
Braço que envolve,
Palavra que conforta,
Silêncio que respeita,
Alegria que contagia,
Lágrima que corre,
Olhar que acaricia,
Desejo que sacia,
Amor que promove.

E isso não é coisa de outro mundo,
É o que dá sentido à vida.
É o que faz com que ela
Não seja nem curta,

Nem longa demais,
Mas que seja intensa,
Verdadeira, pura… Enquanto dura

Desconhecido