NÃO SEI…

amigoslindos  Orkut

Não sei ainda onde a vida nos levará
Apenas sinto que podemos caminhar juntos,
não sei quando e nem por quanto tempo,
mas o que importa o tempo?
Importa sim buscar a felicidade
em pequenos momentos,
em que sentimos que vale a pena
viver neste espaço, quando o amor
nos acena com suas múltiplas facetas, 
abrindo as asas de nossos mais belos sonhos.

Guida Linhares
Fonte: Recanto das Letras

MORRE LENTAMENTE

Norma2 Gifs & Imagens

Morre lentamente
Quem não viaja,
  
Quem não lê,
Quem não ouve música,
Quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente
Quem destrói seu amor próprio,
Quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente
Quem se transforma em escravo do hábito
Repetindo todos os dias os mesmos trajetos,
Quem não muda de marca,
Não se arrisca a vestir uma nova cor ou
Não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente
Quem evita uma paixão e seu redemoinho de emoções,
Justamente as que resgatam o brilho dos olhos
E os corações aos tropeços.

Morre lentamente
Quem não vira a mesa quando está infeliz
Com seu trabalho, ou amor,
Quem não arrisca o certo pelo incerto
Para ir atrás de um sonho,
Quem não se permite, pelo menos uma vez na vida,
Fugir dos conselhos sensatos…

Viva hoje!
Arrisque hoje!
Faça hoje!
Não se deixe morrer lentamente!

NÃO SE ESQUEÇA DE SER FELIZ!

Martha Medeiros

A METADE DA LARANJA

 

escolhendo-a-metade-da-sua-laranja

"Fizeram a gente acreditar que cada um de nós é a metade de uma laranja, e que a vida só ganha sentido quando encontramos a outra metade. Não contaram que já nascemos inteiros, que ninguém em nossa vida merece carregar nas costas a responsabilidade de completar o que nos falta: a gente cresce através da gente mesmo.
Se estivermos em boa companhia, é só mais rápido".

Texto: Martha Medeiros
Imagem: Sétimo Dia

 

A ARTE DE SER AVÓ (AVÔ) – RACHEL DE QUEIROZ

v  Netos são como herança. Você ganha sem merecer. Sem ter feito nada para isso, de repente lhe caem do céu…É como dizem os ingleses, um ato de Deus. Sem se passarem as penas de amor, sem os compromissos do matrimônio, sem as dores da maternidade. E não se trata de um filho apenas suposto. O neto é, realmente, o sangue do seu sangue, filho do filho, mais filho que o filho mesmo…

Cinquenta anos, cinquenta e cinco…Você sente, obscuramente, nos seus ossos, que o tempo passou mais depressa do que se esperava. Não lhe incomoda envelhecer, é claro. A velhice tem suas alegrias, as suas compensações: todos dizem isso, embora você, pessoalmente, ainda não as tenha descoberto, mas acredita. Todavia, também, obscuramente, também sentida nos seus ossos, às vezes lhe dá aquela nostalgia da mocidade. Não de amores com suas paixões: a doçura da meia idade não lhe exige essa efervescência. A saudade é de alguma coisa que você tinha e que lhe fugiu, sutilmente, junto com a mocidade. Bracinhos de criança. O tumulto da presença infantil ao seu redor. Meu Deus, para onde foram as suas crianças?

Naqueles adultos cheios de problemas que hoje são são os filhos que têm sogro e sogra, cônjuge, emprego, apartamento e prestações, você não encontra de modo algum as suas crianças perdidas. São homens e mulheres – não são mais aqueles que você recorda. E então, um belo dia, sem que lhe fosse imposta nenhuma das agonias da gestação ou do parto, o doutor lhe coloca nos braços um bebê. Completamente grátis. Nisso é que está a maravilha.

Sem dores, sem choro, aquela criancinha da qual você morria de saudades, símbolo ou penhor da mocidade perdida. Pois aquela criancinha, longe de ser um estranho, é um filho seu que lhe é devolvido. E o espantoso é que todos lhe reconhecem o seu direito de o amar com extravagância. Ao contrário, lhe causaria espanto, decepção se você não o acolhesse com todo aquele amor recalcado que há anos se acumulava desenhado no seu coração.

Sim, tenho a certeza de que a vida nos dá netos para nos compensar de todas as perdas trazidas pela velhice. São amores novos, profundos e felizes, que vêm ocupar aquele lugar vazio, nostálgico, deixado pelos arroubos juvenis. E, quando você vai embalar o menino ao som de "passarinho como vai" ele, tonto abre os olhinhos e diz:

"Vovó", seu coração estala de felicidade, como pão no forno.

2
 

 

O AMOR NÃO TEM NADA QUE VER COM A IDADE

ScrapsDelic2 Scraps Delicados

Penso saber que o amor não tem nada que ver com a idade, como acontece com qualquer outro sentimento. Quando se fala de uma época a que se chamaria de descoberta do amor, eu penso que essa é uma maneira redutora de ver as relações entre as pessoas vivas. O que acontece é que há toda uma história nem sempre feliz do amor que faz que seja entendido que o amor numa certa idade seja natural, e que noutra idade extrema poderia ser ridículo. Isso é uma idéia que ofende a disponibilidade de entrega de uma pessoa a outra, que é em que consiste o amor. 

Eu não digo isto por ter a minha idade e a relação de amor que vivo. Aprendi que o sentimento do amor não é mais nem menos forte conforme as idades, o amor é uma possibilidade de uma vida inteira, e se acontece, há que recebê-lo. Normalmente, quem tem idéias que não vão neste sentido, e que tendem a menosprezar o amor como factor de realização total e pessoal, são aqueles que não tiveram o privilégio de vivê-lo, aqueles a quem não aconteceu esse mistério.

José Saramago, in "Revista Máxima, outubro 1990"

EU NÃO EXISTO SEM VOCÊ

Scraps & Gifs da Vanessa   

Eu sei e você sabe, já que a vida quis assim
Que nada nesse mundo levará você de mim
Eu sei e você sabe que a distância não existe
Que todo grande amor
Só é bem grande se for triste
Por isso, meu amor
Não tenha medo de sofrer
Que todos os caminhos
Me encaminham pra você

Assim como o oceano
Só é belo com luar
Assim como a canção
Só tem razão se se cantar
Assim como uma nuvem
Só acontece se chover
Assim como o poeta
Só é grande se sofrer
Assim como viver
Sem ter amor não é viver
Não há você sem mim
Eu não existo sem você

Fonte: Vinícius de Moraes
Imagem: Scraps & Gifs da Vanessa

DRIBLE NASCEU NO BRASIL

“Drible NASCEU NO BRASIL quando os jogadores eram negros para SALVAR sua pele”.

neymar-800x396

O Brasil que acolhe a Copa do Mundo 2014, é conhecido  mundialmente como “joga bonito”. Como definir este estilo de jogo?

O jogo brasileiro bonito é um futebol colorido e extravagante onde os atacantes jogam como sambistas e lutadores de capoeira. É um jogo feito de improvisações deslumbrantes e individuais, um jogo irreverente. Ao contrário do jogo europeu, físico e geométrico, o futebol brasileiro é intimamente ligado à noção de prazer.

Ele surgiu na década de 1930, desconhecido na época pois o futebol é dominado pelo chute e correr britânico, um jogo no ar, com base em passes longos. Por outro lado, o drible é um elemento central do futebol brasleiro. Drible é a arte de desvencilhar-se do adversário gingando o corpo e controlando a bola. Esta maneira de jogar vai atingir seu clímax com a seleção brasileira de 1970, liderada por Pelé e em1982 com Zico, Sócrates e Falcão, onde as realizações individuais e movimentos coletivos são combinados perfeitamente.

O que é fascinante é ver como o drible é o resultado da história do Brasil. Quando o futebol foi implantado no Brasil na virada do século XX, era um esporte de brancos, burgueses e aristocratas. A escravidão foi abolida em 1888, mas o Brasil ainda é muito marcado pela segregação racial. Elites brancas consideram a misceginação como uma maldição nacional, castigo divino. Nenuhum jogador negro é, portanto, tolerado nos primeiros grandes clubes de futebol.

Para escapar aos insultos e golpes, alguns jogadores mulatos decidiram usar disfarces . Carlos Alberto cobriu o rosto com pó de arroz, Arthur Friedenreich, o primeiro dos grandes jogadores brasileiros de futebol da história, alisou os cabelos crespos com brilhantina.  É nesse momento que nasce o drible. Para esses jogadores, o drible é uma maneira de evitar as cobranças raramente sancionadas aos adversários brancos e aos insultos dos partidários. O drible é um ardil, uma técnica de sobrevivência, para salvar a pele.

Garrincha, com razão, é considerado como o dribleur mais brilhante da história. Garrincha multiplicava provocações em frações de segundos.

Pelé, antítese de Garrincha, mais sério, mais inteligente, tinha tudo: técnica, visão do jogo, um poder físico extraordinário e um relaxamento incrível apesar do tamanho bastante modesto.

Fonte: Par seneweb
( Tradução )